Congelamento de Óvulos: Quando é uma Opção?

O congelamento de óvulos é uma alternativa que vem ganhando destaque nos últimos anos. Mulheres que desejam engravidar mais tarde, por motivos profissionais ou pessoais, encontram nesse procedimento uma forma de preservar sua fertilidade. Mas quando exatamente essa opção se torna relevante? Nesse artigo vamos explorar os detalhes e entender como funciona.

Quando Considerar o Congelamento de Óvulos?

1. Motivos Profissionais e Pessoais

O congelamento de óvulos é uma escolha para mulheres que tem o desejo de adiar a gravidez. Talvez você esteja planejando estudos, focada na carreira, ou ainda não encontrou o parceiro ideal. Independentemente do motivo, essa é uma opção que permite que você preserve óvulos jovens para o futuro.

2. Idade Importa

Embora o congelamento possa ser feito em qualquer idade, especialistas recomendam que seja realizado até os 30 anos. Essa é uma fase em que a qualidade dos óvulos é excelente, reduzindo os riscos de doenças congênitas no bebê. Após o processo de congelamento, os óvulos podem ser armazenados por anos, sem limite de tempo para utilização.

3. Condições de Saúde

Mulheres com condições médicas que impedem a gravidez imediata, como tratamento de câncer ou doenças autoimunes, também podem se beneficiar do congelamento. O histórico familiar de menopausa precoce também é um fator relevante.

Como Funciona o Congelamento de Óvulos?

O procedimento envolve várias etapas:

  1. Avaliação Clínica: Exames de sangue e ultrassonografia avaliam a produção hormonal e a viabilidade futura da fertilização in vitro para a paciente.
  2. Estimulação da Ovulação: Hormônios são administrados para estimular a produção de óvulos, e Injeções são aplicadas por cerca de 8 a 14 dias.
  3. Monitoramento da Ovulação: A maturação dos óvulos é acompanhada por exames, onde o médico prevê a ovulação e agenda a retirada dos óvulos.
  4. Retirada dos Óvulos: O procedimento é realizado no consultório médico, com anestesia local. Dura cerca de 30 a 40 minutos.
  5. Criopreservação: os óvulos são resfriados lentamente até atingirem uma temperatura extremamente baixa, onde todas as atividades metabólicas cessam, permitindo que permaneçam praticamente inalterados por anos.
Sugestão: Livro “Tudo começa com o óvulo”, R$ 30,68 na Amazon (Compre aqui)

No entanto, é crucial compreender que congelar óvulos não é uma decisão para ser tomada rapidamente. Envolve considerações emocionais, físicas e financeiras, e é um processo que demanda coragem, comprometimento e suporte emocional. Antes de fazer esse procedimento, é importante buscar informações detalhadas, conversar com profissionais de saúde especializados e refletir profundamente sobre suas próprias motivações e expectativas.

É também fundamental reconhecer que congelar óvulos não garante uma gravidez bem-sucedida no futuro, mas oferece uma oportunidade valiosa. Cada mulher tem sua história única, e o caminho para a maternidade pode ser sinuoso e imprevisível. No entanto, ao optar por congelar óvulos, muitas pessoas encontram conforto na sensação de que estão tomando medidas ativas para proteger suas chances de ter uma família, mesmo diante das incertezas da vida.

Se essa for sua vontade, procure uma clínica com boas referências, pesquise muito sobre o assunto, e mantenha sua tranquilidade.

Leia também: Vantagens e desvantagens da pílula anticoncepcional

*Valores sujeitos à alterações

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *